logo-smu
SMU Investimentos
15 de junho de 2022 · 0 min de leitura

Valuation: confira 5 métodos para saber o valor de mercado da sua startup

imagem
Entender o valuation da sua empresa pode ajudar a buscar novos investidores e a estabelecer o percentual de participação dos eventuais parceiros

Depois de muito trabalho para tirar uma ideia inovadora do papel, implementá-la no mercado e atrair consumidores e empresas, o empreendedor precisa calcular o quanto vale a sua startup. Parece simples, mas é comum no ecossistema da inovação os sócios concentrarem esforços na execução do projeto e deixarem de lado as dúvidas que envolvem esta importante tarefa.

Saber o valor de mercado da empresa pode ajudar a traçar uma série de estratégias futuras. Pode impactar, por exemplo, em como a estrutura societária será estabelecida após uma rodada de investimentos para acelerar o crescimento do negócio. Afinal, como calcular a participação do parceiro depois da injeção de R $1 milhão, R $5 milhões ou mesmo R $20 milhões?

E mais do que isso: é importante saber o valor de mercado da empresa até para precificar a participação em nova rodada de investimentos. Por sua vez, antes de colocar o capital, o investidor consegue estabelecer uma projeção de retorno futuro para a companhia.

Mais à frente, essa importante métrica também pode ser empregada para aferir o quanto uma empresa pode levantar na abertura de IPO — a estreia no mercado de ações. Por isso, veja abaixo algumas formas de calcular o valuation da sua startup.

1 — Fluxo de caixa descontado

Este é um método bastante comum para mensurar o valor de mercado de uma empresa. Para fazer esse cálculo, o empreendedor deve projetar as receitas e as despesas para os próximos anos, além de considerar os riscos da atividade em que está inserido e a desvalorização dos seus ativos ao longo do tempo, com os equipamentos (smartphones e computadores), tecnologias e infraestrutura (prédios). Assim, é possível entender quanto de lucro e resultados a startup é capaz de gerar.

No entanto, isso pode ser um desafio para as novatas. Acostumadas a captar dinheiro visando uma expansão acelerada, elas podem não ter dados detalhados para fazer esta estimativa.

2 — Venture Capital

A metodologia leva em consideração o retorno do investidor para o caso de uma eventual saída do negócio em uma das fases de investimentos. Isso é feito com a multiplicação da receita projetada, a margem estimada e os números dos demais concorrentes do setor.

Na prática, imagine uma edtech que, dali a 5 anos, espera ter um faturamento anual de R $100 milhões. A empresa acredita que será possível ter uma margem de lucro estimada em 25%, enquanto a margem média atual da indústria é de 15%. Ao considerar a receita, a margem e as informações dos concorrentes, os sócios chegam ao valuation de R $375 milhões.

A conta é a seguinte: R $100 M x 25% x 15 = R $375 M.

3 — Fator de Risco

Neste método, os investidores devem listar uma série de riscos divididos em categorias que podem aumentar (caso seja positivo) ou diminuir (para situações negativas) o valor da empresa. Algumas delas são o estágio em que o negócio está inserido, o gerenciamento de risco, possíveis instabilidades na produção ou fatores externos, como impacto de decisões políticas ou econômicas de um país.

Ao ter o valor inicial como base, cada um dos critérios deve adicionar ou retirar a mesma quantia da calculadora. Dessa maneira, é possível chegar ao valuation final da empresa.

É preciso dizer, porém, que os métodos mudam, dependendo da ótica de quem está no negócio. Alguns exemplos dessas diferenças de avaliação são as posições de quem está fazendo o ‘exit’ e do investidor que vai adquirir o negócio.

4 — Berkus

Criada pelo célebre investidor-anjo Dave Berkus, esta forma de avaliar o valor de mercado leva em conta diversas questões subjetivas, a exemplo do quão inovadora é a ideia de negócio, o estágio do protótipo do produto, a qualidade do time que vai colocar a proposta para rodar (júnior, pleno ou sênior), o nível de relacionamento estratégico para inserir o produto no mercado e as vendas.

Neste aspecto, o objetivo é reduzir o grau de risco para implementar uma nova solução. Para fazer a projeção, o empreendedor e/ou investidor pode seguir a metodologia para avaliar os fatores de risco. Com um valor base, o valuation cresce ou tem queda conforme os fatores sejam positivos ou negativos.

5 — Múltiplos de mercado

Aqui, é necessário considerar os players concorrentes da startup em questão. É que esse método examina a receita e o valor de diferentes companhias que ocupam um mesmo segmento.

Para exemplificar, imagine uma retailtech que tenha receitas de R $50 milhões. Durante algumas pesquisas rápidas de mercado, os sócios descobrem que um concorrente foi vendido, no mês passado, por um valor 5 vezes superior ao faturamento anual. Portanto, considerando esta métrica, os empreendedores podem decidir que o valuation é de R $250 milhões em um possível negócio.

Mais uma vez, a dificuldade pode ser encontrar dados, já que as companhias de capital fechado não costumam divulgar tais informações.